12 novembro 2014

Cagalhões áboiar na frente do mar até rima com Zé Flár (E na tem nada áver ó fará se tivesse)


Atão coisas impertantes viradas ó má tempe? Tude k'mós postes da luz? A saudinha é u ke deus ker né?
Xe ku fedor tá acamáde? É assim atão? Nunca más arranjem o jgôte? Xke na se pedia parár ku xêre ó pé da rampa d'Avenida cu fedor!
Já me desserem ke já passô, mas xke foi uma pôca vargonha este demingue. Na sabem de nada poi não? Façe idéa! Dias intêres a descascar castanhas e só s'alevantem párriar o calhau. Á langonhas! Xulas! Kabras Maxas! Despois na kerem kus cagalhões andem áboiar pa frente do mar á moinantas. Xkerem às mãos xêas os cagalhões na frente do mar. Uma pôca vargonha! Tante pôve ke vem cá ver o mácara e comprar uns tremeçinhes e é assim k'agente os arrecebe? É obra!
Desserem-me ke foi uma desgracia. Xkera tude xê de pôve das áugas com kelêtes amareles e xkaté um trator lá andava pácartar a xterkêra ke lá andava. Ma même sére essa rua na s'indirêta?
Arranjem-me isse pámor deus ku fedor anda a intrar pa caza das criaturas adentre. Peguem numa carreta das fossas e apanhem-me esses cagalhões vadis e amandem-nos palá da foz. Amandem isse pu mar abáxe. Interrem isse n'árêa. Despois kerem palékas jêtozas a passiar no pardão? Mas kem é ke cá vem com tanta xterkêra na frente do mar? Alimpem esses cagalhões k'este preblema já tem más de vinti anes e nada.
Numa terra em k'inda á merdátona só lá vai com pontapé pa ...... selarêta.
 
 


01 outubro 2014

MAS KEM É KE AKERDÔ US URSES?


É kangares ves desse pas armélas! Desserem magora kus urses sairem todes da toca. è verdade? Xe ke tavem todes a ibernar ó kié? É pecize tê lata. Ma même sére já acabô o kemêr? Xe ke tinhem imigrade.
Pus vistes já imagrecerem essas barrigas inxadas de tante kemer á ó! O Santintrude já me desserem kanda xepáde da pulga  mas os ôtres x'katé tão xês kmó paxá. Era bom néra? Inxer as ózebêras e ficar a dever a tude e a tôdes. Até a mim me deviem seus xês de lixe. Mas inda kerem más kemer. Pus vistes na xigô. E eu a pensar ke tinhem ide ku patrão ó Talon afinal é só gordes medonhes kinda na perderem o tssan tssan. É obra! 
O Santintrude pus vistes tem ajuntade a companha i preparasse pa ir ó mar com manentas e pernetas, cabriolas jburacadas e até o gorde depois de vir pó mê da rua já abre a guela. Mas onde é keste pôve andô xês de xterke?! Kuande arrecebiam fertunas é ke tava bom néra? Xulas! Kabras Maxas! 
E o sitêre veja mazé se manda prinder este pôve. Kemenikades... Agora kemenikades! Tires pus pêtes e baldes de xterke pa cara indéra pôke. Isse é kiéra! Mijem-lhes pa riba deles.
Tude pá gaiola kus mamadores de denhere e de xótinhas parece k'inda na se canssarem. Só o triste do paléke é ke foi pu mar abáxe e nunca más arribô. 
Urses? Sim senhora. Urses só no cirke... E ó longe. Xta cão! 
Kié? Ó felhó, o cú da tu avó. 

Vejem é se na matem o Santintrude de bejinhes e abraçes. Olhem ku ómem já na tem força nos rinzes párrebentar com duas e três pe dia. Agora só se for à vez ó intão cájuda duma cabaça. 
Dêxem-se tar pái keu tô paki. Ai seu mandasse. Tavem bem intregues. 

22 fevereiro 2014

ALBORKES 2014 - (SEM ESPEGANCES)





MARXA ALBORKES 2014

Congelô u matarruâne
Tá cus bêces c’mô panal
Alcuentre é capital
E rezidência ofecial


Mandô vir um telefériu
 20 kelxões molaflex
Deu balhe delas a sério
Foi até xfelar o intrépss


Á seu fê, seu mal trajôze
Já na compras nenhum fáte
Abre a boca seu guelôze
Pa t’arrancar a língua…
 cas pontas dum alicate


Sake de córnes num alguidar
É menu especial
Manda vir, tá tude págue
Pága o corne? Na fá mal


Cazas em Pataias, na Vitória e em Cascais
Já só falta ter uma horta… com vista pa Fanhais

O jagunce já tá rike cu denhêre da gatenagem
Té fez um implante… pa compor a pintelhagem

REFRÃO
Gabões pa cara
Rexiades com lête creme
Caguêre arrebentade
à vez na caza du leme


Amarrade pum pé e abeçade ó pé de gále
Aguarraz no cesse dá recorde mundial
Um dia a gente vê-se pa te dar um inkestinhe
Hádes impranhar de mim um rike cazalinhe

A pikêna vai ser Márina, o pikêne Camarita
Kem será a partêra do Hospital Israelita?
O filme tá fixe só k’ inda nem kemecô
Xcarretas pa cara foi a receta do sô dotor… Diôgue.



Letra: Zé Velhake
Múzeca: Uma cóker dos Los Fugitivos

11 janeiro 2014

Kual Ódituria kol kê! Iste só Lá vai com Conta Kilómetres

 
 


Ó tempe ke já na vinha a esta terra impertante! Akuaze ke já na sabia falar à mó da praia, á ó!
Desta vez fui kum prime matezenhêre pó mar da França e da Inglaterra. Assim sim! Kem kizer fazer dietas agora tá acamáde... Não há nadinha ke páre no xtômague. É pior k'ákelas pikenas tizecas da moda. Inda não intrô já tá a sair.
E pe falar em intrar e sair. Mas ke conversa é esta ke pái s'ôve d'óditurias ó kié? Mas indé pecize más óguma coiza? A rabana e uma corda pós amarrar a todes no penhal. Agora óditurias... Os tristes ke pa lá tão agora ke xamem mazé a peliça, mas xamem a verdadêra não é os bidés xês de micózes no cesse ke pái andem.
Mal xiguê e a pessenagem ke vi lógue foi o Sant'Intrude alés. Tanta criatura ke me pedia aparcer à frente e tinha de ser lógue akele azile. Caguê lógue um pé tôde. Ma même sére ninguém o ógema e manda pós Farelhões adonde arrecadô os melhões, même no mê dos kelhões?
Na fassem o k'eu ves digue e vão parar perte. Mêtem mas é um conta kilómetres nas passolas do gáde brave ke pus vistes inda na foi pó abate. Essa é ôtra. Mas prakié ke kerem tanta carrne de vaca velha na Cá d's Pescadôs? Pa fazê xanfana? Nem sê se praísse prestem... É carne munte amassada. Só se for pa fazer amburgas. E os restes intreguem mazé ós cães, antes kóguem s'ingasgue.
Óvirem? Conta kilómetres nas passarolas. Despois diguem k'eu não avizê. Adeuzinhe. Vô-me inssaiar à moinante pa ver se me calha, na digue uma vaca ó uma cabra, mas ó menes koké coiza p'akecer o pecêbe, cóssenão fike cum brace má grosse có cornes da Dotôra.
 
Na se xtraguem, olhem có senão inda morrem com óguma pneumenia e os kevêres andem munte apkentádes e na têm tempe pa fazer buraques. Até preke buraques é o ke pre cá na faltem. A mim é ke na me calha nada. Não há-de ser nada. Tamém já acabo a urbana pá Kikas. Despois na kerem kum gaje imigre.
 
Vá! Vão pa setenta. Xta cão e ssta gáte!