21 maio 2013

PA'INTRÁ NA PRAIA SÓ COM PERTAGEM


Atão seus medônhes, infadônhes e tudo kuante é mau? Ind'aí andem? A gentre preki tamém. Saudínha é o ké pecize. O reste cura-se com droga!
 
Vanhe aki só um cadinhe pa córdelhar com vócezes uma coiza k' ind' ákuaze ninguém sabe. X'ke ind'antes do V'rão vão pôr pertagem pa nossa terra toda, xk'até na Pardanêra põem pertagem e x'ke custa uma fertuna porca!!!

Na imág' in'rriba, podem ver a nova pertagem do Seberke, xké pe ser o destine mais prócurades por ótemóves pa s'amandarem e lógue a seguir precóza duma onda, ó kié! Kas recêtas desta pertagem espera-se conseguir alcatruar os burakes tôdes do Síte (agora na se eskecem d'alcatruar o cêsse dos ôtres três ke fazem de conta ke vão kerrer e vão brincar cas xótinhas uns dos ôtres), x'ke tamém tem de dar p'árranjar os cantêres do Xófer da Junta, a vivenda das sintrinas do Sô Nunes e as lojas dos marjavantes. X'ké tude em troca de cruzinhas, na pecebi mas desserem-me antrelantontem. Mas inda vames apurar isse tintin per tintin. Da gente ninguém faz pôke. Na kriam má nada os azêtes!?
 
Mas iste na fica por aki! Sé k'era béle! A Pardanêra fica ca pertagem más cara pa xpantar os turistas dakele fim do munde. Ninguém maréce kenhecer akeles aziles... Sejêtes a serem atakádes à pedra, ó pior...
 
Pá Praia vão pôr duas pertagens: uma ó pé da Ponte da Barca e ôtra ó pé do Parke de Campisme, de kem vem do lade de Pataias, da carrinha da pakêta. Essas pertagens vão servir pa pagar os ordenades do Xótinha d'Oire, do Mamão das Missinhas e à Segunda Dama. Kó senão na se guevernam com mênes de mil contes per mês.
 
Só tá mal fête é iste na ser pa tôdes. Havia de ser pa tôdes mas pus vistes há kem na vá pagar. Parece ku Batutêre do Subertude já tem um aparêlhe na vuáture pa na pagar. X'ke faz parte do contrate cu Rê tem com ele pa peder ganhar as inlenções. X'ku Batutêre vai pá guerra mas xké só precóza do Rê dos Dezimpregues e do Ilétecista da Pardanêra ke tante lh'arrebentarem o célebre k'ele vai sair tôde nêgre, mas kus bolses xês de fixas. Tude pó Burre ganhar, có senão vai tude preze. É tude amigue do pôve dendes ke corra pá terra có senão fica tude in caza a xcaldar os pés com áuga e sal.
 
Kem kizer fegir às pertagens só tem duas hipótezes: ó faz c'mó Batutêre ó intão uzem a Ladêra pa ir pa Pataias ó intão assubem a incosta da Pardanêra até ó Sã Brás, se kizerem ir pó Valade. Kem for pa Lesboa o melhor é ir de lanxinha. Sim k'mássim sai má baráte.
 
Guardem mazé as muedinhas, se na servirem pás pertagens, serve pás menhés das sintrinas, ó pó Palhoça Fê k'mó Trevão.
 
Gritem à caras de catane! Gritem! Seus montes de xtêrke!
Viuládes a sangue frí e nem ái dizem. Gostem pôke gostem...

10 maio 2013

KENNY ROGERS DE FAMALICÃO LANÇA NÔVE ÊZITE



É ó, atão? Vê o selinhe ótra vez, na foi? Vá tude pá rua apanhar ar: Ar e vente é mê sestente!

A netíça más impertante, dakela terra ind'antes de xigar a Sa Martinhe, é um riaparcimente do Kenny Rogers de Famalicão mais kenhecide pu Intruja, kem nem tá tão ó raze ke nem pás giletes tem. Na sabem kem é? É ele in Famalicão e o Fernande Pedre no Valade. A difrença é k'inkuante o Valadêre cantava a "Melher da Nazaré" o Famalicuêre canta a "Menhér da Xeminé".
Despois de ógum tempe kietinhe a viver à conta e à sombra do Rê Mintirôze aparece agora, ótra vez, pa ofrecer más um servicinhe à sêta da Xeminé.
Este tá em todas: é da mãozinha, manda na xeminé e inda inventa dependentes mamões. É o même ke jegar uma tripla no totobola. Dá sempre certe. Só o Major de Gondemar é ke acertava na Letaria todas as semanas, na Guiné! Só se fosse burre! Já sabia os númares e este na sabe os númares mas imbaralha as bolas, e este até tem uma barba ingual e tude. 
O imense repertório desta xtrela em kus êzites más kenhecides são as múzecas: "No mamar é ke tá o gánhe", "Même no peder, nada côme ficar a dever" e claro o maior êzite "Alcapeniçe e ladruagem em Famalicão na paguem pertagem".
O nôve album tem o nome original "No bolse é k'ele tá bem" tem novas múzecas ke podem vir a ser nóves êzites, dos quais se destacam: "S'eu na gánhe côme um balde de ranhe", "Se sabem ke vendi a áuga léve k'uma rekevêra pas costas" e "Kuande vier o kebrador de frake inda me dá um atake". 
O concerte já tá marcade, pa despois d'antrelantonte, e vai-se realizar no ótel do Iletecista da Pardanêra com o acompanhamente da Banda dos Ordinários, cuja repetação já corre mêa Praia. 
Compre o diske, vá lá ajudem a criatura k'apezar de dezassês anes de numares 1 no tóp não há mê d'ajuntar dez testões. Não o dêxem xê de dívedas kó senão nunca más sai das mãos do Rê e da códrilha.
Ajudem o ómenzinhe e facem o k'ele manda, vá lá. Dexem a criatura se guevernar. 
Dá balhe! Ajem cabencas...

05 maio 2013

É BARKE AÍ! MÊME NO FUNDE E AINDA SAI DA DOCA SECA!


Ind'há kem diga ke não há milagres. É verdade! Esses pretestantes mal trajózes andem p'aí a dezer ku barke já foi ó funde mas pus vistes même xê d'áuga ind'é capaz de sair na Festa do mar. Sé k'era béle!
Kuande tude já pensava ku barke tava mais ke rôte, atão não é ka companha do barke do Rê dos Piratas saiu hoje à rua. Olh'ós anes k'este pôve na méte os pés de môlhe e lógue calhô hoje m'aparcer tude pa praia à dentre, même no dia em ke fui fazer a primêra kêmadela na vrilha, pa xtrangêra ver.
Kôme se póde ver na imagem, a tropa fandanga ia toda diretinha, uns a remar pa xtibórde, ôtres pa bondóde mas o barke lá ia, àrrejar pu xão, mas davagarinhe lá ia. Os andores e os anjinhe tôdes munte bem infêtades. Até o sô prior ia bem trajáde! Uma rikeza!
E, pus vistes, na sairem sózinhes preku Rê dos Mintirózes xe ke pagô o gazóile pós ôtres barkinhes saírem pó mar. Num dia de calor como este ele não ia perder a opertenidade de pescar um cadinhe, pode não apanhar grande coiza mas o ke vier à rede é pêxe. E, côme já é tradição, tude kuante mete santinhes na pode faltar o Grande Irmão, más kenhecide pu Rê dos Mamões e dos Irmões. É uma grande famíla, só em irmões é um fim do munde! É só irmões e filhes de pais e mães difrentes. Akile, antigamente é k'era um forróbodó!
Mas agora pregunto eu: na pediem fazer iste nôtre dia? Vêm uma pessoa cansada de trabalhar nos férribótes e xega aki e nem na Praia tá segáde. A nha cadelinha, prekóza dos feguêtes, cagô-se umas três vezes. Já virem bem só o trabalhe de kem for apanhar o xterke da nha cadela? Uma pôca vargonha!
Tô cansade da nha cabeça com tanta trapaça, tante apite e xêre a naftalina ke mal xiguê a caza tive de mandar a carga ó mar có senão na m'assigurava em pé.
O k'este pôve faz pa continuar na panela! E o Xófer da Junta? Virem? Um impertante, xe k'até já insina kurses de xófer. Dá bálhe! Um xpérte intlegente, na fosse assim e o filhe tamém na seguia as mêmas pizadas de xófer. Kóke dia têm d'abrir uma nova praça de tákçes só pa eles. Olha! Abram na Cela e frétes só pó láde do Guizade!
Mas eu só kria dezer ke tava tude munte benite mas se kizerem fazer trapaça façem na caza deles. Preke num dia deste levar com feguêtes, bezinas, xêre a gazóle e más módes acamádes. Avia de cá vir o Gaspar e meter este pôve a pagar imposte. Vão mas é pá Vitória e na cansem ninguém! E se pederem, aluguem um bangalô, ó ane, e fikem, pre lá ke já tá tude cansade de tanta ladruagem. Seus xulas!
E pá próxima, tirem o bárke do peção ke sé pa ir ó funde ke vá de vez. Ku xêre a lôde já me tá a fazer intrar melgas dentre da sala de jantar, e de noite fike tôde merdide. Tanhe de comprar um fufu ma matar esta bexarada toda. Não é tarde nem é cêde. In vez de comprar salte mas é à baranda do mê vezinhe e vô lá bescar um k'ele na deve dar por isse. No pôpar é ke tá o gánhe!
Dêxem-se tar e não inkemodem ninguém. Ovirem? Má ninguém! AH cansadores! Moinantas!