26 abril 2013

TOICINHE É ACAMÁDE!


Despois duma carrada d'anes passádes a sêta, pus vistes é toda a mêma.
Ó fim de tantes anes a kemer tude e tôdes, c'mós glutões do Préste, é vê-les estikades c'mós lagartes, de barriga virada ó sol, de cigarréte no cante da boca, e na mão o kepáziu d'imprial, côme sempre na Catedral da Alcapenagem.

Este poize já era kenhecide pe ser frekuentade pu Ingenhêre Rôba e Corre Tude e pu Vitinha da Bata Prêta. O Xótinha D'Oire tamém lá ia munte até ter leváde cartão incarnade do Rê Mintirôze ke não o cria a fazer figura de moinante e de batutêre, pa kem passásse no pardão. Despois duns tempes na tóca, parece k'agora já pode melhar os pés, ótra vez, e voltô à baze despois d'atestar o depózite e meter mais umas pó kerrícle.

Esta taberna é guevernada ca barriga inkestada ó balcão, mas cuidade kas barrigas são tão grande ke kóké dia ninguém xega à restadora pa fazer trókes e despois na s'admirem se faltar denhêre. Infim, é uma caza sem gueverne ke kóke dia derretem-se à perrada. E eu ralade!!

Os galifões, apesar da crize, andem tão impaterrades ke só se mexem pa keçar a lombriga. A nova akezição parece ké o Burre da Xcóla, ke dá bálhe dos cigárretes. Deve andar apekentade da companha com kem s'ajuntô. É tude intlegentes. Inda kóké dia s'ade ver um xtrangêre kokér a intrtegar um nóbel a este pôve tal é a influencia da cevada nakelas cabencas. Óguns até já aprenderem a atacar as sapatilhas. Não há pai pa este pôve!

Um bárke sem leme, kum arrais bêbade e uma companha galifôna ke só vai ó mar kuande sabe ke vem uma rede xê de pêxe. É obra!

Tão perte do pardão e na são capazes de kerrer um cadinhe, alés. É ke nem os ótemóves e as motas fikam longe. É ali même ó pé do Turisme. E peliças? Tá kiéte! E na têm vargonha de dezer ke são a favor dos parkimetres, alés?! Assim tamém eu! Paguem tôdes menes eles. Ó xpértes ó na vanham cá!

Pu tempe k'ali passem aviem de pagar pertagem, ó um imposte de cargas e descargas, peluição vizual. Koké coiza, dendes kus fizesse ficar in caza kas menhés. Assim, ó mênes na batiam ca cabenca nas portas. Tante eles como elas...

O Talon é ke se conçelava kon este pôve. Tanta gentinha a merrer à fome e este pôve kom estes corpes sem gueverne. Intremiada era akamada. Tanhe a impressão ke já se pôpava pó almôçe do Círio da Senhô da Vitória uns vinte ó trinta contes de febras.

Abençoada terrinha, ke se pedesse albardar os burres ke se vêm por aí na xigava a fertuna da díveda da Cambra pa pagar as albardas.

Fassem mazé k'mós urses e c'más cobras. Já ke têm a fama ó menes ke tanham o prevête. E k'me são têmózes, façem tudo ó contráre.  Ibernem de v'rão e só saiam da tóca kuande óguem mandar. Tá bem? Até lá xcondem-se bem xcondides ke kóké dia, ka feminha ke pá í anda, ainda ves hê-de ver a ser inguelides pum kokér xfómiáde k'ade arrancar, cus dentes, o imbigue a esta gentinha impertante.

Abençuades fosses os esfómiádes! Na se perdia akuaze nada s'inguelissem esta gandelagem...

Xulas Moinantas! Cavalas muídas!

Inda ker este pôve guevernar esta terra!

Têmes bem intrégues!


15 abril 2013

NA PODEM VÊ NADA Á Ó!

É ó! Atão? Tude órráite? É o k'é pecize...

Têmes muntas nevidades! É verdade! Óvimes dezer na Praça ku Reternade mais o Carapau Sêke forem pó ma terra pa lá da Griulanda. Inda p'ra lá d'adonde andavem ó bacalhau onde x' ke tá o fri a kemêr tude em vida. É verdade alés! Xe ke forem pescar ó anzol kerride pa Turonte e pa Lamintane. Xe ke forem todes bem vestides e arranjades côme se fossem pa um cazamênte. Pareciam uns dotôres! Só bejinhes e abraçes. Xe ke parecia akele pugrama do Perdoa-me. Xe ke vierem kas malas xêas de denhêre e impregues pó nosse pôve impertante k'mó sol. Vai ser uma rikeza!
Agora sim vâmes ter tude kuante é bom. Tanhe impressão ku Rê Mintiroze já deve andar apekentade preke os treze mil impregues k'ele trôçe pá nossa terra ó se calhar na xeguem pa ganhar ótra vez. Era a manta! Ia tude pá cazóta dermi-las cum fáte à Pertimenense. 
E pe falar em malas xêas, na sabem vocêzes kem já fez as malas? Na sabem? Vão ficar injuádes! 
Atão não é ku Burre da Xcóla já fez as malas e disse ke s'ia imóra precóza do Fanhôze ke já disse ke ker o legar do Rê Mintirôze.
Xe ku Burre da Xcóla lhes fez um inxente. Xe ke na ker o Fanhoze pa sepelente. Ó ke parece o Rê Mintirôze anda a pô tude in mal uns kus ôtres pa ser ele o numare dois. E xe k'a seguir o Burre da Xcóla méte báxa pó Rê continuar a mandar, côme sempre... É só cabencas xpertas. Tamém na têm ke fazer. Têm de s'intreter com óguma coiza.
Dizem k'ele tem de largar a Krôa, mas pus vistes é só se for em primêre mas xe k'in sigunde já pode ir. Nem o homenzinhe ke caiu da cadêra era tão sáfe.
Falta saber su Fanhôze se conforma e mete a viola no sáke pa tecar só kuande o bacalhau for bom sem sal... 
Uma volta de mar à Pinoca é o c'avia de vir. Même a sério. Xe ke se na vier uma leva de mar o Má Cara na vem pa cima da pranxa e os cabazes de pêxe pôrke na põem a lota àpitar até às Festas.
E o ké ku Reternade e o seplente forem fazer ó Canadá? Atão s'eles lá dizem ke lá na dá, o ké k'este pôve lá foi fazer? Na têm o ke fazer ó denhêre? Olhem ku mê figurífe já só tem põpa de temáte e dois rissóis merdides no cante pun pirikite. Uns a passear e eu ku cinte sem mais burakes pa infiar.
A resposta à viagem do Reternade foi imediata, xe ku Burre da Xcóla já passô uma carrada de xékes e até foi ó Valade par kertar a fita na inóguração da alcatifa nova k'eles lá têm! Já nem s'usa alcatifas! Xe ke faz mal à bronkite, ó kié... Mas este pôve anda sempre atrás da carroça. Se bem k'antes atrás k'à frente. Esse legar tá reservade ó Burre. Xe ke foi uma coiza impertante. Com padre e tude! O Rê Mintirôze até xe ke xorô c'mó ma Madalena arrependida. E xe ke levô palmas e tude! Não há pai pa este pôve, com papas e bôles s'inganem os tôles...
E é o ke têmes pur hoje. Há! Esperem! Na se xkecem de passar pu barracão do Anófabéte do Fate Intêre p'ássinar os papés. Xe k'em tróca inda ves fáz o IERIÉSSE. Ajudem lá o homenzinhe ke pus vistes anda inpaxáde p'ajuntar os ótógrafes ke são pecizes pa ir ótra vez pá mamagem. O Rê Mintirôze ind'é pessoa p'ájuntar uma fertuna pá criatura ajedar à festa. 
Ábe já a boca!
Na tinha-mes já cá mamões ninhuns...

05 abril 2013

DE MEXÃO A CAÇÃO E A CAMINHE DE TEBARÃO


A Praia tá sempre em altas. Não há pai pá nossa terra linda e impertante!

Despois da onda e dos inxentes tôdes ke pr'ái andem, parece ke foi incontrada uma nova xpéce de pêxe na nossa terra linda k'mó sol.
Numa altura em ke só se vê pêxe kuande as menhézinhas vão despejar à borda d'áuga os pótes de esterke e mije, parece k' aparceu uma nova xpéce de pêxe. Sigunde um dôtor ke tirô o curse na mêma turma do Burre da Xcola e do Ervas, xk'esta é uma xpéce resultante da tiuria da ivleção inventada por um ómenzinhe xtrangêre ke já na m'alembra o nome.
Ó ke parece est'era, originalmente, um derivade de mexão mas despois de kemer na foz o lixe ke vem d'Ókebaça e da fábreca do xêre a mal em vida, ganhô um cabedal k'eu sê cá, só viste! Parcia o cavále do Tanganha a kemer, até parcia ku munde tava ácabar! Tem tide uma dieta de pexinhe pikenine, camarita e lula e agora é um caçãozinhe com duas cabeças e kuatr'ólhes.
Se kum ôlhe já s'é Rê numa terra k'má nossa, imaginem agora com kuatre. Kuatre! Sem contar kus irdêres ke paí andem.
Uma boca inliadêra e prigoza disse-me à xuxa calada, ke viu a famíla ó cante das pedras, infiades numa lóca pa ke ninguém dê ku pexêre.
A xpéce, apezar d'andar sempre perte do reste da companha, parece guestar de fazer criação com kóker pexinhe ke lh'aparcer pa frente. É kenhecide mesturas com Julianas, Rébagues, Sefinas e até Cábozes.
Óke parece este parece ser um compertamente normal e bem acête preke a fêmia na s'importa e o reste da criação, inkuante vier kemer pá meza tamém na parece s'impertar munte.
No tempe da dezova são k'más inguias e vêm pu ri acima pa dezóvar ó Bairre x'Pescadôs. Ninguém sabe bem kômé ke lá xegarem os cações mas pus vistes vierem pu jgôte arriba e a maior parte já na sai de lá até ter um corpe c'mõn cavále.
O même cientista já disse ke se continuarem a kemer assim podem bem passar a tebarões, no mínime, a  tinturêra. Iste preke é um bixe de munte sestente. Podem même ser tantes cações no nosse mar ke kóké dia na xega espáce pa más pêxe ninhum. São más kás mães...
O Rê despois de ter kenhecimente desta nova xpéce já lhes arranjô um xalé nos recifes arteficiais prek'ó ke parece o mar, pós lades da fêra, anda munte altaráde.
Já kizerem meter o bexinhe no guinésse pre ter duas bocas i kemer c'mó ma draga. X'ke na vale a pena.
É melhor kemer à calada. X'k' às vezes parece um bankete! É pá menina e pó menine ó-ó. Dá pa tude. E tante pexinhe a merrer à mióca da lama e estes com duas bocas a kemer até má não.
Não há dirête! Haverem d'ir bescar o cábe de mar e arrebecá-les pá pexina da Xcóla do Calhau. Já ke na serve pa má nada ó mênes na xatiavem ninguém. Era só lá pôr a ração e ficavam todes têzes e na xatiavam ninguém. Mas sem ração é k'eles na passem. Sé k'era béle!  Xta cão, ó menhor, Xta Cação! Assimhá cação k'ingorda k'mõ lêtão!