08 fevereiro 2013

DE XEMINÉ PA TERMÓMETRE


Despois de munta gentinha já tê dite ke na vai vetar na xeminé, em ótubre, os intlegentes já arranjarem uma manêra de fazer com ku pôve vóte neles à mêma.
Assim, a fómla utlizada foi a troca do símbale adonde se mete a cruzinha. Á poiz'é na votem na xeminé? Votem no termómetre ke dá no même e ninguém dá por ela. Tamém ninguém kenhece o Burre da Xcóla e só o Kezenhêre é kenhecide per ler as dêxas no Cazine, desparar a pestóla da Mardatona e de ler recêtas de Cabrite à Pádêre. Só há pôcaxinhe tempe é ke se tem viste na igreja. Akualker dia acaba k'mó árbite dos relójes: de bata branca no pálio do sô Padre.
Tá tude resolvide. Sim k'má sim este pôve tamém na tem partide, o partide deles é mamar até a têta secar, o ke já faltô más. Pur eles ir pa xeminé ó pun calhambéke é ingual. Dendes ke dê pra ele e pó reste da sêta, tá tude sáfe k'mó relóje.
Atão na se confundem e na eskecem de vetar no termótere do homenzinhe do chapéu. Só na tem o gabão preke no termómetre tá munte calor e desfazia-se em xterke.
O móte tamém já tá xkelhide: " Se na kés ke te faça um inxente vota no Incompetente". Tá gánhe!
Em terra de gente más ceguêta kás tôpêras deve dar pa xigar à frente. E atenção ke na dezêmes ke na nossa terra linda k'mó sol é tude burre c'más portas preke as portas nunca fizerem mal a ninguém e esta xkemalha já.
Adeuzinhe ku Alborkes é capaz de ficar em vinha d'alhes até kuarta fêra de cinzas. Só falta meter a marxa. S'até as lojas dos pirikites têm uma marxa agente tamém é gente!
Dêxem-se tar ke s'oje apánhármes uma tólada kôme deve ser a marxa faz-se in mêa hora no guardanápe d'ámburga do bálhe.
S'ágente na se vir antes até kinta! Agente vê-se no Centre de Saúde, nos tratamentes pá pneumenia do fígade.

Sem comentários:

Enviar um comentário