05 maio 2010

No dia dus Inlês...

Numa bela manhã de quinta-fêra, no primêr dia do mês e dia dos inlês, lógue pa fesquinha, ês que se junta a sêta do Reternade, pa i'dar um "passêzinhe" pu Pardão, e aprevêtar pa dar umas "consultas" ó demicílio e vender uns antibiótikes e sepezitórios pá bronkite. 
E ali iam eles, todes juntes. À frente, o Reternade de bata branca e trotoscópio ó pête, logue atrás os irmão metralha cuns papéis de multibanke na mão, ao lade o reste da trupe: O Mini Maxi kuma pasta impoerada; o Zé Kemenista e o seu super herói o Capitão Bétinhe. Também com a trupe ia a Madame Lebre que vinha ca cara escondida pre cósa do pó dos penhêres, preke na capital não há menhocas nem penhêres. E lá ó funde, bem ó funde ficô o Ilétecista da Pardanêra no multibanke do Barklés a passar algumas das recêtas ke faltavam intregar ós clientes, ind'antes da consulta. Logo em seguida eis ke enkontram a Órtensa e a Mardajula na sua camenhada matinal, antes d'ir pá pastelaria kemer felares.


Mardajula: Olha kem aki vem!  Ke mesturas aki tão. Uns nem kenhecem o Pardão ôtres até o lixam kom tantas vezes ke aki passam...
Órtensa: Dêxós vir ke já vô pegar com eles... Atão? P'onde vai a companha?
Mini Maxi: Inda bem ke vos apanhames aki. Íames já lá passar pas vossas casas pa ves dar as "recêtas" pó dia 10.
Mardajula: Mas kuais recêtas? Eu já nem vô ó médike desde a passagem d'ane.
Reternade: Não é isse. É para virem vetar na gente, pás ilênções da mãozinha.
Órtensa: Podem contar comigue, ku mê homem e ca nha filha.  
Metralha Grande: Tem ke ser, kó senão ganha o Alcapone e é o fim do munde... E isse ninguém ker!
Órtensa: Essa gente é tude uma camada d'intressêres, kerem é táxe, sabem ir trabalhar! Mas olhem ke se eles vierem ter comigue, já sabem, tanhe ke dezer mal de vocês...
Reternade: Mas olhe ke se ainda tiver os bikes de papagaie tamém a pósse ajedar. Mande vir a besnaga de Avêre e tá tratada.
Órtensa: Fazes-me isse amigue? Atão tá bem. E já agora tamém precise duns pingues pós cales do rêgue, sá xavor...
Mini Maxi: Se vetar na gente até a levames ó Tallon pa tratar do inxasse no imbigue.
Órtensa: Tás a ver Mardajula esta gentinha é karidosa, os ôtres não.
Mardajula: Atão mas oiçam cá! A Órtensa é da sêta da mãozinha? Tá o munde perdide! Atão foste na carabana da Xeminé e agora és da mãozinha? Vão bescar a nhá avó ó cemitére pa vir ver iste...
Órtensa: Kié! Antes de seres da mãozinha já eu ia a Lesboa ku Alcapone ver o Bexêxas.
Mardajula: Eu sê. Até foi o Alcapone ke t'arranjô impregue na Pêralva. Mas agora já tá tude eskecide desde ke te meteram a filha na Câmbra.
Órtensa: Ai k'invejosa p'rigosa, ke venêne sai dessa boca pa fora e tu na tens preke...
Mardajula: (Interrompende a amiga) Sô séria e a nha família tamém, e na m'eskece de kem me faz bem e na m'eskece de kem me faz mal.
Olhem krides amigues, vocês são boas pessoas mas eu tanhe uma mákina de rôpa pa 'stender e digue já ke vô pu João das Marchas kesse ó menes andô cas banderas pa rua, já vocês tavam im casa a kemer e a beber. Fora os ke me bateram à porta pa vetar no Rê dos Impregues. Gente tonta é k má kanalha... Rukx
Órtensa: Dêxem ir essa bandida! Oiçam cá é verdade ku Rê dos Impregues tamém t'acompanha?
Reternade: É verdade, ele gosta muite d'agente, pá próxima vai pa gente, vai ver! Adeus e na se eskeça: À segunda é de vez!
Órtensa: Adeus amores vames pá frente! (Comentande entre-dentes) O Rê dos Impregues pre vocês? Atão na vai pre vocês?! Isse é agora, ódespois até o Iletecista vai pu Luís XXI, o Rê dos Hotéis e dos golfes, ke nessa altura já deve tár ku subsídio de desimpregue depois de ter destruide mais uma fertuna ke não é dele.

E lá passou mais um dia dos Inlês, ó das mintiras pa kem na fala à mó'da Praia. Este um dia em grande pós inliadêres montarem o maior dia o dia em ke o Rê dos Impregues ganhô as ilêções da mãozinha.




1 comentário:

  1. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    TE SIGO TU BLOG




    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE
    alborkes

    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DEL FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

    José
    Ramón...

    ResponderEliminar