08 janeiro 2010

Segunde Áte - Já na Fêra ó Mê Dia

No memente em ca Mardajula e a Órtensa falavam cu Rê dos Chambres eis que sai da Câmbra o Rê dos Imprêgues cuma mão chêa de balões côde laranjas a caminhe da Praça.

Órtensa: Atão era diste que tavas à'spera Rê dos Chambres? Tavas àspera do Rê dos Impregues?Ai k'ómem ventanêre! Hoje tá pó norte e amanhã já tá pó sul... Crédincruz!
Mardajula: Na ligues a esta prigosa Rê dos Chambres. Isté tude inveja. O k'ela kria era os filhes dela c'má tu filha e c'má minha cum impregue na Cambra.
Rê dos Chambres: Sabes bem keu na tô aki pre mim. És pobre e mal agradecida. Já te'squecetes dos quartinhes que t'aleguê este Verão? Sabes bem ke seu quisesse na te'striavas. S'eu na trabalhasse de sol a sol na tinha denhere pa comprar o iate ke já mandê vir.
Órtensa: Ai k'inliadêre! Olha que lhe dê côrenta contes pa me mandar uma gentinha e diz-me este libartine que m'ajedô alés!
Rê dos Impregues: Na s'inérvem à nha porta, calminha, ke p'ajedar tô cá eu. Mas o ke é ke se passa aki?
Mardajula: Na foi nada Rê. Foi esta invejosa e inliadêra que disse co Rê dos Chambres é mintirose. Mas agora é k'eu vi. Mas pa onde vai o Rê e a Corte com esses balões todes?
Rê dos Impregues: Calma não é precise se chatearem k'iste agora há impregues pa todes. O Sócras telefenôme e disse-me ke depois de tantes pedides k'eu lhe fiz agora vames ter impregues pa todes. Vão ser  mais de 13 mil imprêgues. E ainda há mais! Cu Telefério e o Parque Subterrâne da frente do mar. Pó mês ke vem já tá tude a andar... Diga ó sês filhes pa passarem pre ki depois das inlêções ca gente arraja-lhes kóker coisinha...
Órtensa: Ai k'inliadêres prigoses! Atão o mê filhe tá pá Inglaterra a lavá prates num restórante, a nha filha foi pa Lamintón, pá casa da tia, p'ápanhar temates. Andavam os dois à merrer à faneca, foram à Cambra ógumas cinke vezes e nada e agora já vai haver pa todes. Olhem o keu tanhe cóvir. Andavem  os mês rikes filhes a merrer à faneca e agora já impregues pa todes?
Mardajula: Tu e os tês filhes é ke são têmoses. Se na vetarem na mãozinha têm os impregues ke quiserem.
Órtensa: Já antrelantontem a Morta Viva me vê bater à porta pa me dezer a mêma conversa e ontem fui ó Site e o pai do reternade tamém me disse o même...
Rê dos Impregues: Tás a ver? Se até a Morta Viva que come e dorme à conta da mãozinha te diz isse é prequé verdade! A Morta Viva vai pa gente e o Reternade tamém. Os dotôres da mãozinha kerem é tache mas na kerem fazer nada.  Ó menes a gente dêcha fazer tude até vender o tê pechinhe à porta da Praça! Mas toma lá um saquinhe e um balão da cheminé.
Órtensa: Obrigadinhe mas já tô jantada com tantas ofertas. Valhem-me deus e as almas santas!... Adeus Mardajula keu vô pá fêra.
Mardajula: Péra aí pariga! Desculpem esta melher mas é têmosa. Na precebe que depois das Inlêções nem vale a pena ir a Lesboa comprar rôpa nova, procurar impregue e levar os homens pó imbarque. Até o pitrolêre do mê homem vem atracar à Praia. Se o Rê dos Impregues kiser...
Rê dos Chambres: Tu sabes kem é ke faz bem Mardajula. Se na fosse agente ainda ká tinhames o Alcapóne e a Morta Viva ke na faziam nada senão escondêle na gaveta. Na kriam má nada vir ótra vez a mãozinha pa me tirarem os trabalhinhes pá cambra p'uma fertuna.
Mardajula: Têm razão. A nha gentinha já sabem k'é po Rê dos Impregues ma ninguém pode dezer nada senão a nha filha pode vir pá rua s'akela gente prigosa ganhar.
Rê dos Impregues: É verdade! Se os Dotôres ganharem vem tude pó mê da rua. Diz isse às tuz'amigas ké p´ágente ganhar.Toma lá um balãozinhe e vai lá ter ca tu'ámiga Órtensa. E vê lá se a convences a vetá pa gente. Diz-lhe cos filhes vêm trabalhar pó mê gabinete, tá bem?
Mardajula: Obrigadinhe, e vô lhe meter mêde. Esta eu hei-de convencer... Adeuzinhe.

Já na Fêra ó pé do cigane das mêas e das cuecas


Mardajula: Órtensa! Ond'andas tu pariga?
Órtensa: Ke foi carague? Prakié esse balão pindurade?
Mardajula: És même uma vibera kespidêra. A dezer mal dum ómem impertante comó Rê dos Impregues. Mas kem é melhó ca ele cá de catane? É o Vitinha ó u Vereador dos Barrankes? Na sejas inliada por eles ko Rê dosImpregues é ké bom.
Órtensa: Ólha ke já te vi cas bandêras da mãozinha no tempe do Alcapóne. Só tás bem é com kem manda!
Mardajula: Ai! Vômimóra ke vem aí a kemitiva da mãozinha e na me podem ver aki cu balão do Rê dos Impregues. E são mais cás mães...
Órtensa: Mas tens algum preblema? K'eu saiba não...
Mardajula: Não é isse melher. É ke já me têm fête jête e custa-me mintir ó Vitinha, ó Vereador dos Barranques e à pikena da Pardanêra.
Órtensa: Ai ke gente inliadêra, intressêra e prigosa. São k' mós cães ke na kenhessem o done. Vai timóra libartina. Mas na te'squeças ke kuande na recebês a reforma vai à carrêra pedir ó Rê dos Impregues que te faça os papés de graça kele já t'atende de largue.
Mardajula: Ó! kié! "Tirá mão ké pêche cagão"...

4 comentários:

  1. ist' é uma delícia. na me ria tanto dendes a ult'ma cégada que vi escrita pu carvolha. rux a elas ....

    ResponderEliminar
  2. Fantást'co! É kestume passar férias na Naze ca família e adore este falar... Vou já fazer alarde!

    ResponderEliminar
  3. Tenho a dizer a quem o fez, que isto é uma vergonha!Já agora tanta coragem, quem és tu, identifica-te, se tens coragem!
    Será que ainda não conseguiste um emprego na câmara? Se calhar esse é o teu problema, inveja, muita inveja! Quem normalmente perde tempo com este tipo de critica ou, é uma pessoa frustrada ou então um cobarde que se esconde por trás de textos!

    ResponderEliminar