15 dezembro 2009

Primêru Ate: No Caminhe Pá Fêra ind'ates do Mê Dia

A cada sexta fêra do mês a Mardajula vai de manhãnzinha à Praça e ódespois vai à Fêra dos ciganes. Desta vez foi ca vezinha do rédechão a mádame Órtensa ke dês ku ómem dêxô o imbarque só sai de casa pa ir ó pão ó à Fêra. Preque, segunde o ómem dela, o Kim Jul,  a Órtensa na tem amor ó denhere.

Mardajula: Órtensa, áh Órtensa!
Órtensa: Ke foi melher? Jáki vô.
Kim Jul: Ponde vás tu pariga?
Órtensa: Ke foi? Vô à fêra!
Kim Jul: Kertincasa pu mê dia. Óssenão infite o almoço pus fundilhes.
Órtensa sessurra entre dentx a caminhe da Praça.
Órtensa: Nunca más chegó dia duir vesitar à Pardaera de Telefério.
Mardajula: Na me digas que kés cu teu homem morra?
Órtensa: Cada um na su vez, e ca del seja o má depressa pessivél. Na me dêxa dar um pêde. Já me ker ca reforma dele...
Mardajula: Agora é ke me tô álembrar. Ke conversé essa do Telefério?
Órtensa: Atão na sabes? O "Rê dos Imprêgues" disse ke  o Telefério tá pronte pó Natal. Kem u vem inógurar é o
Mardajula: Tu na me digas isse! Indá kem diga mal dum homem detes alés! É um grandiómem. Nãu há pai pra ele.
Órtensa: É verdade! Se na fosse ele a nha filha na tinha ide ser dotôra na Cambra.
Mardajula: Dotôra?! A tu filha? Che ke na kria stedar e já é dotôra?
Órtensa: Calata boca pariga! A nha pikena tirô um curse de três meses e ganhô um concurse a dotôres, logue é dotôra! Menes ke ninguém...
Mardajula: E ké kela lá faz?
Órtensa: Munta coisa impertante com papés e telémovefes.
Mardajula: Sim senhora... Kem viu a tu filha na Padaria da mêa noite às oite e agora é dotôra...
Órtensa: Ma mêmassim só sai do trabalhe às tantas da madregada. Xe cakile é só papés párremar e telefones pátender. A triste só tem tempe de vir a casa kemer uma sepinha e vai ótravez pó trabalhe.
Mardajula: Tem ke ser crid'ámiga. Com esta crise tem que se fazer muntes sacrifices.
Já à intrada da Praça, as duas amigas são aberdadas puma melher d'lá de norte chamada Maricãinda. Uma alquevitêra de luxe ke só ker é contes e dites.
Maricãinda: Ai cridas amigas tô predida da nha barriga, na sê o ke tanhe, tô chê d'azia. Tenhe kir num stante à Farmácia bescar clorete.
Órtensa: Mas o kék tu kemêtes ke te fizesse mal?
Maricãinda: Nada catane! Só jantê sopa de Mercela e oite rébagues com fajão.
Órtensa e Mardajula: (em uníssene) OITE!!!!
Maricãinda:  Com fajão! Mas fiquê chêa de fasti esta noite e esta manhanzinha é ke kemi três papessekes com marmelada, na fôsse me dar uma trombóze.
Órtensa: Vai lá ver, vaitimora à Farmácia da Sóvila pa imes à fêra. Fikemes aki fora à tu'spera.
Maricãinda: Prontes, vô mimorátão, vanhe aki ter õ kuarte pó mê dia. Inté...







1 comentário: